Ir para o conteúdo

O segundo dia do Akademy – Conferências 05-09-2020

Sábado, 5 de Setembro de 2020 | KDE Brasil


[Esta é uma tradução do artigo original postado no Dot KDE.]

Um dia cheio de palestras fascinantes

O primeiro dia de palestras do Akademy foi bem variado e interessante, cobrindo uma grande variedade de tópicos, desde o gerenciamento de projetos de metas e avanços técnicos em tecnologias Qt e KDE até um programa de odontologia de código aberto e Linux para automóveis.

Aleix Pol, presidente da KDE, deu início ao dia exatamente às 6:00 da manhã no Brasil com um vídeo feito por Bhavisha Dhruve e Skye Fentras para dar as boas vindas a todos por participarem do evento.

Após mencionar as circunstâncias bastante únicas do Akademy deste ano, Aleix introduziu a primeira palestrante, Gina Häußge.

Gina é a criadora e mantenedora do OctoPrint, um sistema cheio de funções e bem sucedido usado para controlar sua impressora 3D por meio de uma interface web. Em sua palestra, Gina tratou tanto de suas experiências boas como das ruins ao assumir o papel de mantenedora de um projeto de código aberto independente. Ela falou sobre o sentimento de liberdade e propósito adquirido ao trabalhar com o projeto, assim como dos pontos negativos de instabilidade financeira e frequentemente se sentir sozinha a despeito de estar trabalhando em algo que serviria a centenas, talvez milhares de usuários. Apesar das desvantagens, Gina admitiu alegremente que faria tudo isso novamente se tivesse a chance e que a sensação de estar ajudando outras pessoas, além da realização que experienciou, definitivamente compensam os momentos ruins.



A palestra de Gina resumida de maneira gráfica por Kevin Ottens.

Logo após foi a hora de outro contribuidor veterano de código aberto brilhar: Jonathan Riddell tratou de como liderou uma das metas atuais da comunidade KDE: Tudo sobre os apps, o projeto no qual membros da comunidade promovem e distribuem os aplicativos da KDE com liberdade, até mesmo onde não haja a área de trabalho do Plasma da KDE. Jonathan mencionou suas motivações para propor esta meta e o resultado do trabalho feito desde seu anúncio no Akademy 2019.



Jonathan Riddell falando sobre o progresso feito na meta Tudo sobre os apps.

De modo semelhante, Niccolo Venerandi apresentou sobre a meta de Consistência. Esta meta tem o objetivo de unificar a aparência do Plasma e de todos os apps da KDE de modo a fornecer uma experiência coerente para os usuários. Niccolo mencionou o fato de que o Plasma não tem problemas sérios de consistência, e sim abordagens diferentes no design de apps que pode ocasionalmente levar a uma quantidade surpreendente de visuais e comportamentos. Niccolo então nos mostra o futuro dos aplicativos da KDE e, honestamente? Parece incrível.

As apresentações tratando individualmente das metas acabaram com Méven Car falando sobre Wayland. Já não é segredo algum que o porte do software e das tecnologias da KDE para o Wayland, o substituto para o clássico sistema de janelas X, está tendo seus altos e baixos. Por isso mesmo a comunidade KDE decidiu tornar o Wayland uma prioridade. A meta do Wayland é uma tarefa difícil que exige atualizações em múltiplos componentes e fazendo como que todo o conjunto gráfico da KDE seja refeito. Como Méven explica, no entanto, a comunidade fez bastante progresso desde o Akademy 2019.

Dando continuidade à apresentação individual das metas da KDE, Niccolo Venerandi, Méven Car, Jonathan Riddell, Lydia Pintscher e Adam Szopa se reuniram para sintetizar como foi o primeiro ano e o subsequente aprendizado em lidar com as metas.

Após a reunião, Andreas Cord-Landwehr falou por dez minutos sobre o SPDX, um sistema usado para licensiamento mais eficiente. Nesta apresentação aprendemos que identificadores do SPDX são um passo importante para permitir o uso de ferramentas automáticas que verifiquem declarações de licensiamento. Andreas explicou as vantagens de usá-las e quão simples é aplicar elas. Ele também deu um resumo curto sobre o que já foi feito em relação ao KDE Frameworks e onde contribuidores podem ajudar e dar apoio à conversão para o SPDX.

Em seguida Shawn Rutledge tratou de Edição de Markdown usando QTextDocument em outra palestra de 10 minutos. Shawn adicionou suporte ao Markdown de primeira no Qt 5.14 e como alternativa ao conjunto limitado de HTML que o QTextDocument costumava usar. Durante a palestra, ele demonstrou alguns editores WYSIWYG escritos com widgets e com Qt Quick.

Como última apresentação curta antes do almoço, Carl Schwan expôs Como criar um bom site promocional para o seu projeto. Carl é o contribuidor principal por trás das melhorias drásticas em muitos dos sites da KDE, incluindo o kde.org. Durante a palestra, Carl apresentou o tema de Jekyll da KDE, a motivação por trás do projeto, e explicou brevemente como o tema pode ser usado para criar um site da KDE. Ele também apresentou exemplos de sites com design pobre e como eles podem ser melhorados para tornar os projetos mais atrativos para usuários em potencial.



Os Akadêmicos aproveitando o período de descanso entre as palestras da manhã e da noite.

No período da tarde, as apresentações tiveram início com a palestra do conselho administrativo do KDE e.V. e relatórios dos Grupos de Trabalho. O conselho falou aos atendentes sobre todas as coisas que eles fizeram ao longo do ano desde o último Akademy. Algumas ações de destaque foram o aumento do número de três empregados pagos para cinco, a migração para o GitLab e um aumento no fundo de suporte para os membros da comunidade. O conselho então prosseguiu tratando dos detalhes das atividades do vários grupos de trabalho, embora algumas de suas apresentações tenham sido relocadas para o fim do dia devido ao tempo disponível.

O texto completo do Relatório Anual da KDE – 2019 está disponível para leitura à vontade.

E então voltamos à programação de palestras com a Atualização do gerenciamento de entrada, apresentado novamente por Shawn Rutledge. Nesta palestra, Shawn falou sobre o que está por vir e as várias metas para eventos de entrada no Qt 6.



Cornelius Schumacher contando a história da KDE Free Qt Foundation.

Enquanto isso, na sala 2, Cornelius Schumacher falou sobre a KDE Free Qt Foundation. Estabelecida em 1998, a KDE Free Qt Foundation foi fundada para manter o Qt toolkit livre para a KDE e todos os outros projetos de software livre. A fundação se manteve firme durante as mais de duas décadas de períodos ocasionalmente turbulentos que o Qt e a KDE passaram juntos. Cornelius narrou a história de como isso tudo funcionava.

E falando da The Qt Company… Um pouco depois, na sala 1, Richard Moe Gustavsen falou sobre Suporte nativo a estilos para desktop com o Qt Quick Controls 2 e o trabalho contínuo da empresa para dar suporte à escrita de aplicativos de desktop usando Qt Quick Controls 2.

Ao mesmo tempo, na sala 2, Aleix Pol tratou dos Produtos da KDE e como visualizar a relação deles com os usuários. Na palestra, Aleix introduziu um sistema para ajudar desenvolvedores a garantir que a comunidade de software livre e seus usuários sejam protegidos.

Na sequência, na sala 1 Patrick Pereira apresentou Criação rápida de protótipos QML – Desenvolvendo ferramentas para melhorar o desenvolvimento e protótipos QML. Em sua palestra, Patrick falou sobre como a criação de protótipos é feita por todo desenvolvedor de QML e como fazer isso de modo eficiente. Ele utilizou dois projetos como exemplo: QHot (um programa para atualização ao vivo de arquivos QML aninhados) e QML Online (um editor QML online feito com WebAssembly) para explicar como diminuir o tempo de desenvolvimeto e a curva de aprendizado para o QML.



Jonah Thelin dentro de seu carro falando sobre linux em carros.

Na sala 2, Johan Thelin deu início à sua palestra Linux em carros – O que que há? de dentro de seu carro. Literalmente. Johan falou de como carros ainda usam tanto software proprietário ao ponto de ser difícil encontrar as partes que são efetivamente de código aberto, mesmo quando o linux é usado por trás. Ele também falou sobre que medidas são necessárias para melhorar a situação e como software da KDE pode servir para esse tipo de uso.

Logo após essa sequência de palestras de extensão normal, houve três apresentações rápidas de 10 minutos.

Com o Flatpak, Flathub e a KDE: Um resumo geral, Albert Astals Cid introduz a platéia ao Flatpak, explica o que o Flathub é e como a KDE interage com ambos.

Nicolás Alvarez então falou de Como melhorar a infraestrutura de servidores da KDE, da formação do grupo de trabalho dos sysadmins, e explicou aos atendentes como o time de sysadmin está no processo de tornar servidores da KDE melhor gerenciáveis reduzindo “dívidas técnicas”, transferindo tarefas manuais para scripts, melhorando a documentação e tornando mais coisas testáveis localmente antes de sua inserção nos servidores reais.

Na última apresentação rápida do dia, David Edmundson deu dicas de Como ganhar um argumento com um mantenedor, uma vez que testemunhou e participou de centenas de discussões no Bugzilla e no Phabricator que acabavam se tornando impasses emocionais. Ele compartilhou com a platéia os métodos que ele viu funcionar para alcançar meio-termos produtivos e alertou de certas que atitudes que podem levar situações técnicas a experiências desagradáveis para todos.

Logo após se seguiu uma das apresentações mais surpreendentes do dia apresentada por Tej Shah, doutor em Odontologia dos EUA. Tej falou sobre seu projeto Clear.Dental e sua tentativa de converter a odonto para o lado do código aberto usando o poder do Linux, do Qt e da KDE. Ele revisou o estado dos softwares usados no tratamento de dentes (lamentável, por sinal), o problema que existe com os programas atuais, e como o Clear.Dental pode contribuir para resolver tudo isso.

Ao mesmo tempo, na sala 2, Camilo Higuita tratou de seu projeto filho, o Maui, e deu à audiência um geral sobre o que há de novo no grupo de apps, serviços, bibliotecas e infraestrutura de UI que o Maui fornece para criar programas elegantes.

Na sessão seguinte, Rohan Garg deu uma lição aos atendentes com seu Introdução ao hardware gráfico no Linux explicando como a crescente popularidade dos dispositivos ARM levou à criação de arquiteturas de plataforma com hardware gráfico mais peculiar. Ele falou sobre o básico do stack gráfico do Linux funciona e a história por trás de como chegamos aos atual design do Gallium no Mesa.

Por fim, a participante do Google Summer of Code, Amy Spark, exibiu Integrando programas de código aberto de hollywood com aplicativos KDE com o porte da tecnologia de animação da Disney para o Krita. O SeExpr dá a artistas usando o Krita acesso à geração procedural de texturas, permitindo a inclusão de detalhes ínfimos de superfície, efeitos de iluminação, superposições e outros com o aperto de um botão. Como linguagem de script, ele dá aos criadores de conteúdo a flexibilidade necessária para garantir resultados perfeitos de maneira consistente alterando o algoritmo a suas necessidades. Amy teve que superar várias barreiras técnicas durante o processo de portar, uma vez que o SeExpr foi feito originalmente para rodar em um conjunto de software proprietário específico.



David Revoy mostrando um exemplo do SeExpr sendo usado em uma imagem da webcomic "Pepper and Carrot".

Caso você tenha perdido, as palestras do dia estão disponíveis online em três blocos: um da manhã e dois para cada uma das salas usadas à tarde. Nós também gravamos todas as palestras e você poderá assistir cada uma separadamente nas plataformas de vídeo da KDE disponíveis em breve.

Amanhã nós iremos fazer streaming novamente via BigBlueButton, diretamente dos nossos servidores, e pelo YouTube.